quarta-feira, 11 de julho de 2018

PPPPP*

* Publicado no Jornal do Centro há exactamente dez anos, em 11 de Julho de 2008


1. No início deste mês, o IVA passou de 21 para 20%. Podia ter descido mais qualquer coisinha. De qualquer forma: “Saravah!” - “Axé!” - “Shalom!” - “Salaam!” - “Ámen!” – “Iupi!”

Nunca é demais repetir esta ideia: é feliz o povo que tem um governo pequeno e moderado nos impostos.

Era bom que os impostos descessem mais e, para isso, há que cortar na gordura do estado. Porque não se privatiza a RTP? Se nem conseguimos manter urgências abertas nas vilas do interior, para que raio queremos uma televisão pública que faz rigorosamente o mesmo que fazem as televisões privadas?

Pergunta Jorge Fiel, no Diário de Notícias de domingo: “porque é que a telenovela "Dança Comigo" é "serviço público" e "Ciranda de Pedra" (SIC) e "A Outra" (TVI) não são?”

A RTP custa-nos meio por cento das receitas do IVA; 240 milhões de euros por ano; metade desta verba vem do orçamento de estado, a outra metade duma taxa que pagamos meio escondida na conta da luz.

2. É possível descer mais os impostos sem aumentar o défice. No estado, além de gordura inútil, há desperdício criminoso. Vamos pagar 485,5 milhões de euros pelo sistema de comunicações das forças de segurança, o SIRESP, cujo preço de mercado fica entre 70 e 105 milhões de euros. Não há ninguém preso por causa disto. Nem vai haver.

Fotografia de Carlos Manuel Martins
Daqui
Em Portugal, as PPP (Parcerias Público-Privadas) transformam-se em PPPPP (Parcerias Prejuízos Públicos Proveitos Privados).
Numa PPP, enquanto do lado empresarial há pensamento a longo prazo, no lado político mora um calendário eleitoral qualquer. Por vezes, as mesmas caras ora estão de um lado da mesa, ora estão do outro.

Aconteceu isso na PPP do SIRESP. Arderam 400 milhões de euros do nosso dinheiro. Quanto é isso em IVA?

Sem comentários:

Enviar um comentário