segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Catroga ganhou ao Seguro

Imagem do melhor jornal português, o Inimigo Público
     Segundo o que estão a dizer os media, há luz verde nas conversas entre Passos e Seguro: a taxa de redução progressiva de um subsídio de férias e de Natal em 2012 e 2013 vai ser entre os 600 euros (começava nos 485)  e os 1100 euros (era até aos mil euros).
     Pela projecções, esta "modelação" — termo usado por Pedro Passos Coelho — vai valer 130 milhões de euros (que não vão ser compensados em cortes de despesa mas com aumento de impostos - a taxa liberatória sobre as mais-valias passa de
21,5 para 25%).
      Estas notícias podiam ser melhores se mostrassem descidas na despesa. São, de qualquer forma, boas já que vão
beneficiar 160 mil pessoas com baixos rendimentos.
     Deve-se registar ainda que o governo acaba de definir que: 
     (i) pobreza é ter menos de 600 euros
     (ii) classe média é ter mais de 1100 euros.

     A pergunta feita neste blogue aqui e aqui teve hoje a resposta: enquanto o grande Eduardo Catroga, no ano passado, conseguiu 550 milhões para os contribuintes, este ano o "nim" de António José Seguro conseguiu 130 milhões.
      Eduardo Catroga ganhou. Por muitos.

Sem comentários:

Enviar um comentário