sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Don't fuck my job


     
A capa do jornal Público de hoje — para além de relatar o atarantamento do casal Merkozy e o sadismo da agência Fitch —,  evidencia um salto qualitativo da luta dos nossos sindicatos: estes coletes verdes são para passar na Sic e na TVI, mas também na CNN, na BBC, na Al-Jazeera e em todas as televisões do mundo.
     

Finalmente, os nossos sindicalistas perceberam que ao capitalismo global há que responder com luta global. 
     
A esquerda, que há cem anos era cosmopolita e internacionalista, é agora estreita e sem mundo (os discursos anti-globalização do PCP e do bloco são nacionalistas e anacrónicos). 
     
Por isso, estes coletes verdes a dizerem a todo o mundo DON'T FUCK MY JOB são um avanço e mostram que Carvalho da Silva percebeu melhor estes tempos que vivemos que Jerónimo e Louçã.

5 comentários:

  1. Caro amigo,

    Gostei do texto, apenas um reparo, esses coletes verdes não estao de forma alguma ligados ao Sr. Carvalho da Silva ou a outra figura qualquer Portuguesa. Foram usados por nós Estivadores a primeira vez numa manifestação em 2009 junto à assembleia e de novo em 2011. Uma frase que ficou célebre depois da manifestação convocada pela IDC ( international dockworkers council) em 2006 em Estrasburgo aquando um dos manifestantes transportava um cartaz com a mesma. Achámos que podiamos "copiar" essa frase e usar nos nossos coletes que por ser em inglês tenta nao ser tao ofensiva mas que ao mesmo tempo reforça a ideia de que somos capazes de muito pelos nossos postos de trabalho.

    Obrigado

    Os meus cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Caro Paulo Gomes
    Muito obrigado pelos seus esclarecimentos que mostram como se está a fazer a necessária transnacionalização das lutas dos trabalhadores.
    A pessoalização que fiz em Carvalho da Silva é só uma "facilidade narrativa", serviu para mostrar que a luta dos trabalhadores está menos formatada e é mais cosmopolita que a dos partidos.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  3. O meu colega Paulo explicou de forma clara o porquê destes coletes,pois esta foi a maneira que encontramos para nos entenderem fora do nosso Portugal.E já agora dizer que os portos estão a ser atacados em toda a Europa numa tentativa de acabarem com os postos de trabalho efectivo e começarem no trabalho precário.
    Orlando Miguel08

    ResponderEliminar
  4. Caro Joaquim,

    Obrigado pela resposta. Já agora visite o nosso blog, dê uma espreitadela: estivadoresaveiro.blogspot.com
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  5. Meus caros: estivadoresaveiro.blogspot.com guardado em "favoritos"
    Muito obrigado e felicidades pessoais e profissionais

    ResponderEliminar