quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Atocha

* Texto publicado no Jornal do Centro em 7 de Dezembro de 2007


Madrid.
Chega-se ao Memorial de Atocha através da estação. 
Uma sala azul, grande, redonda. 
A luz entra por uma cúpula de vidro. 
Onze metros de altura de vidro. 
11M.
2004. 
11 de Março. 
191 mortos. 
2050 feridos.  

No vidro, uma espiral de mensagens.
“Maldita mochila maldita por siempre”.




     A lavagem aos cérebros dos futuros mártires nunca pára nas madrassas do Paquistão e nas madrassas electrónicas dos sites fundamentalistas. Um dos países europeus em que esses sites são mais acedidos é Espanha.
     Milhares de câmaras de vídeo filmam, agora, todas as ruas de Madrid.

Sem comentários:

Enviar um comentário