terça-feira, 8 de maio de 2012

Saudades do engenheiro Guterres

     Diz o presidente do ACP, Carlos Barbosa, hoje ao I.:
     — "não era possível que algo que foi bem pensado por Cravinho e Guterres, que eram as Scut, pudesse passar de um custo anual de 200 milhões para mais de 700 milhões";
     — "as Scut têm 93 entradas e saídas, nunca foram pensadas para ter portagens".
     De facto, há dois tipos de auto-estradas:
     1 — as que são uma espécie de "túnel na paisagem", com poucos nós rodoviários, desenhadas para dar respostas rápidas a uma procura pré-existente;
     2 — e as como as SCUT, de concepção menos performativa e para menores velocidades, pensadas como instrumentos de desenvolvimento das regiões que atravessam, e por isso com muita porosidade com a envolvente, muitos nós rodoviários, e que pretendem criar procura.
     Para o financimento das SCUT, para além da taxa de 2 cêntimos em cada litro de combustível criada em 2006, podia ter sido criado o "selo das SCUT" como sugeri a Sócrates em Fevereiro de 2009 na presença de mais de mil militantes socialistas. 
     O "selo das SCUT" respeitava o princípio do utilizador-pagador, evitava as portagens e o big-brother dos pórticos e tornava muito mais fácil a vida ao trânsito internacional.
     Há três anos, Sócrates fez uma profissão de fé na tecnologia celerada do senhor Paulo Campos e do seu ex-assessor e fez muito mal. O engenheiro Guterres nunca embarcaria num big-brother destes e é por isso que tenho saudades do engenheiro Guterres e nenhuma do engenheiro Sócrates.

     O interesse público foi atingido muito negativamente ao ter-se avançado para as portagens nas SCUT. Ainda por cima, o Álvaro, perdão!, o dr. Vítor Gaspar, pôs as portagens nas ex-SCUT mais caras que nas auto-estradas das regiões ricas. 
     Já para os rentistas das PPPPP-Parcerias Prejuízos Públicos Proveitos Privados, todo este traumático processo revelou-se um jackpot.

1 comentário:

  1. Será apenas mais um processo! ...mas muito gostaria que viesse a ser uma lição. e às vezes...

    ResponderEliminar