sábado, 19 de maio de 2012

Portugal não é o Azerbeijão, pois não?

Detalhes



Detalhes

O grau de dissolução da terceira república percebe-se quando Bárbara Reis, a digníssima directora do jornal Público, afirma que, lá na casa, não valorizaram muito os destemperos do ministro Relvas por “lidarem com situações do género com muita frequência”.

Aceitar-se com naturalidade esta "muita frequência" diz muito da nossa ecologia mediática:
já não são só muitos políticos de topo que não sabem o que andam a fazer, 
muitos jornalistas de topo idem, idem.

O professor Marcelo apelidou o ministro Relvas, em devido tempo, de "erro de casting".

Pedro Passos Coelho, meu caro, é melhor retirar o seu número dois do plateau.

Porque há que começar a limpeza por qualquer lado.

Sem comentários:

Enviar um comentário