sábado, 5 de setembro de 2015

Vou-me sentar aqui, respirar até doer

Fotografia de Dag Alveng



Vou-me sentar aqui, respirar até doer
as coisas possíveis nunca reais,
aprender, nó a nó, como te soltas,
vamos cair num poço, sem
bússola e pára-quedas, vamos ser o primeiro
amor a dois no mundo.
António Franco Alexandre


Sem comentários:

Enviar um comentário