terça-feira, 16 de abril de 2013

Patti Smith explica o Cântico dos Cânticos

Patti Smith no Chelsea Hotel — fotografia de David Gahr

Deitamo-nos juntos na noite ilegal
trespassados por faíscas de prata

Talvez fôssemos sem saber nessa hora
a senha aguardada por mundos futuros
Talvez desvendássemos um centro para as rosas
e agora é de lá que partem os comboios
a decidir o curso dos impérios

Pouco importa que tenha chegado a aurora
aos bares que cumprem horário nocturno
e o cheiro dos desinfectantes mostre
como se apagam
os vestígios do amor
José Tolentino Mendonça

2 comentários:

  1. Reflexos de poesia!

    "Às escondidas

    Os primeiros chuviscos restituem-nos

    o incrível cheiro da terra

    mas nós estaremos quem sabe longe

    do que tem significado

    Preenchemos a inscrição numa piscina municipal

    não sabemos bem o motivo ou não dizemos a ninguém

    como os dias nos pedem a dureza

    ofegante,instintiva

    que têm para os nadadores as braçadas

    Uma sombra nos acalma

    Uma claridade nos dói

    Cedo receamos a felicidade daquelas imagens

    que reencontramos dentro de nós

    e não se ligam a nada"

    de Igual Para Igual(2001)
    José Tolentino Mendonça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maravilha, obrigado por este poema que fica aqui tão bem!
      :-)

      Eliminar