segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

E o PSD de S. Pedro do Sul vai mais do que a tempo

     Enquanto Vitor Figueiredo faz o lançamento da sua candidatura pelo PS à câmara de S. Pedro do Sul já no próximo domingo, a uns longuíssimos dez meses das eleições autárquicas, diz o bem informado O Caricas que «a comissão política do PSD/São Pedro do Sul decidiu, em reunião realizada na passada semana, que o candidato à Câmara Municipal só será anunciado em Março do próximo ano.»
Com a devida vénia a O Caricas

     A imposição, pela direcção de António José Seguro, de um calendário temporão para a escolha dos candidatos às câmaras, a uma eternidade das eleições, é um 3 em 1 em matéria de tiros no pé: 
     (i) retira flexibilidade à resposta que cada concelhia terá que dar à realidade política do seu concelho;
     (ii) é mais uma demonstração do centralismo "lisboeta" encardido e entranhado, centralismo que depois faz soar a blá-blá-blá todos os protestos socialistas contra as políticas "a régua e esquadro" paridas na capital para aplicar no país;*
      (iii) vai ser desrespeitado olimpicamente porque não é realista.

     Esse erro, pelo menos no concelho de Viseu, já conseguiu cindir o partido em duas facções — uma "teleguiada" por Miguel Ginestal, a outra "aproveitada" por José Junqueiro — facções que, anoninamente, se entretêm a fazer figuras tristes no blogue Viseu, Senhora da Beira. É lerem-se os comentários a este post.
      Seguro sabe que tem todas as condições políticas para, à medida que a direita se afunda no governo, ganhar as autárquicas de 2013 e recuperar a presidência da ANMP.
      Mas convém não abusar da sorte.


* Parágrafo reescrito em 4.12.2012, às 10:45.

Sem comentários:

Enviar um comentário