segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Étês há muitos, no turismo são praí uns 27 ou coiso - e afirmo três vezes para que não haja dúvidas: a única coisa que interessa neste post foi escrita pelo Rui Macário Ribeiro




A ET27 é a Estratégia Para o Turismo 2027 e o Rui Macário Ribeiro leu aquele "referencial estratégico para o Turismo de Portugal na próxima década".

Coisa asseada, para "executar" (isto é, matar fundos comunitários, homicídio que só acontecerá se, entretanto, a senhora dona Catarina Martins não nos ejectar fora da "Europa" com a bênção da senhora dona Marine Le Pen e o exemplo da senhora dona Theresa "Brexit means Brexit" May).

O caso é sério, e o caso é técnico,  e o caso é político, e o caso tem lá dentro massa cinzenta que nos vai trazer 'charteres' de turistas para os aeroportos mais próximos.

Repito: o Rui Macário leu aqueles papéis e contou a sua leitura atenta na última edição do Jornal do Centro, de 29 de Julho, página 32.


Sem estrépito, "trepito" mais uma vez para que não haja dúvidas — o que interessa neste post está a itálico e só a itálico, e foi escrito pelo grande Rui Macário Ribeiro e não por mim, e é o que se segue:


 
Rui Macário Ribeiro
(fotografia abduzida do FB do autor
e sem a sua prévia permissão
e o mesmo abuso já tinha
sido feito aqui em Janeiro
)
(...) dos 7 documentos de trabalho para o [Turismo do] Centro, só 2 estão disponíveis (malditos pdf's que fogem dos links). Um deles é uma análise SWOT e nela se afirma, como "Vantagem", a proximidade do Porto e de Lisboa (se estivermos em Fátima, talvez) e a A25 entre outras redes viárias. 

Nas "Fraquezas", as portagens complicadas de compreender. Nem é a portagem em si, ou o custo das mesmas, é mesmo a dificuldade em poder compreendê-las. Os turistas não gostam de não entender e fogem.

Há mais um elemento maroto, segundo o relatório: o território é grande (fala-se do Centro, NUT II, onde coexistem 12 NUT's III) mas é complementar e o mal é que os "players" teimam em não cooperar. 

Então não poderiam os de Viseu vender praia, os da Nazaré vender chocolate alheio, e os de Óbidos vender Viriato? É só um saltinho. O país é pequeno. Garantidamente que vão de Alcobaça via aeroporto de Lisboa subirão ao Douro com paragem em Viseu.


Então se andarem à caça de Pokémons, é um corrupio.

Sem comentários:

Enviar um comentário