segunda-feira, 28 de março de 2016

Latcho Drom — escolha de José Fernandes — no "sexigenário" CCV

29 de Março, 21H30, IPDJ-Viseu

Numa altura em que se assinala o 60º ano de actividade do CINE CLUBE DE VISEU, continua em cartaz um ciclo de filmes escolhidos por directores de várias fases da vida do CCV.

A próxima sessão tem data marcada para 29 de Março, com o filme escolhido e apresentado por José Fernandes: LATCHO DROM de Tony Gatlif (1993).



Retrato lírico da cultura cigana, LATCHO DROM é um diário de viagem musical que segue o percurso migratório levado a cabo pelo povo ROM, desde a Índia para oeste, desde há mil anos. 

Filmado em vários países, com um elenco quase inteiramente cigano, na verdade, como referiu o crítico norte-americano Jonathan Rosenbaum, "LATCHO DROM não tem nacionadade de todo. " 

É também um filme sem género definido, ao mesmo tempo musical, documentário, ensaio etnográfico, e manifesto apaixonado de um cinema mais livre.



LATCHO DROM é um dos filmes do mais famoso cineasta cigano do mundo, com várias obras premiadas internacionalmente, e com um Prémio de Realização em Cannes, com “Exílios” (2003). 

TONY GATLIF, que já viveu em Portugal, abordou o seu trabalho, em entrevista de 2008 ao Jornal de Notícias: 
“A cultura cigana é sempre divertida. Mesmo nos momentos mais trágicos. Os ciganos, ao longo da história, souberam sempre manter uma certa alegria de viver, mesmo se para eles a vida é dura. Faz parte da cultura cigana. Os ciganos nunca são sinistros.” 

E não esconde a defesa do seu povo: 
“O cinema que faço é um cinema de luta, que defende o meu povo, no Mundo inteiro. Faço um cinema divertido, mas empenhado. Vai contra os estereótipos, que são feitos por pessoas que não nos conhecem.”

Sem comentários:

Enviar um comentário