sábado, 7 de fevereiro de 2015

Em Viseu, não sabemos quem somos, nem para onde vamos — um texto de JB *

* Comentário de JB ao post "Mentiras infladas":


"O silêncio pode ser muito barulhento"
José Mourinho
(esse mesmo, o treinador)

1. O Paulo Macedo vem defender que conseguiu um acordo melhor do que os outros países europeus, é o mesmo tipo que ficou indiferente à morte de portugueses (durante meses), gélido no olhar para quem o acusou de “deixar morrer as pessoas”. É o mesmo que considerou que o caos nas urgências foi porque: ”se reformaram muitos médicos”.

O silêncio do PS em relação a este senhor é tão conveniente!!!

“If I Had A Hammer” cantavam Peter, Paul e Mary, com um “hammer of justice” o que eu faria….






2. George Steiner é um dos mais importantes pensadores actuais, ponto!

Steiner tem refletido sobre a Europa e a sua definição. E é curioso que uma das característas que nos distingue, enquanto europeus, são os cafés: “A Europa é feita de cafetarias, de cafés. Desenha-se o mapa das cafetarias e obter-se-á um dos marcadores essenciais da «ideia de Europa». Como eu me identifico com esta ideia!

Mas há horizontes negros na Europa e avisa-nos que «Se o silêncio acabasse por chegar de novo a uma civilização em ruínas, seria um silêncio duplo, clamoroso e desesperado pela recordação da Palavra.»

Silêncio que eu tenho medo se precipite sobre o projecto europeu.
Fotografia de Alexander Zemlianichenko/AP/Guardian

A Europa (com a Alemanha à cabeça) não sabe no que se está a meter. Mas os Russos vão ser bons explicadores. Esta estratégia suicida da Europa vai conduzir a implosão da União Europa. O regresso às pátrias está à beira de acontecer.

E continuo sem entender qual é a posição dos socialistas europeus neste problema da Grécia. Será que continuam a ser socialistas às 2ª 4ª e 6ª e depois não sei o quê às 3ª 5ª e sábados? Enquanto os socialistas não tomarem uma posição digna, clara, não haverá uma solução capaz de servir condignamente o povo grego. Muitos dos problemas que hoje estamos a viver devem-se, infelizmente, à falta de coragem dos governos socialistas europeus em serem fiéis aos seus princípios ideológicos, e a muitos líderes ditos socialistas que se renderam (outros venderam-se) ao capitalismo, verdadeiro vencedor na queda do muro de Berlim. Entregaram-se, muitos criminosamente, ao chamado capitalismo de rosto humano. Agora estamos à espera que o capitalismo se regenere?

Os nãos podem não ser definitivos, quando há força para os contestar.

"The times, they are a-changing," como cantava o Dylan.





3. Neste momento em Viseu, não sabemos quem somos, nem para onde vamos.
E não é a tristeza da cidade, pois esta continua belíssima...

Sem comentários:

Enviar um comentário