quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Sou como uma peça de seda cor-de-rosa

Fotografia de Antoine Verglas




Sou como uma peça de seda cor-de-rosa,
ondulando no mercado.
Não sei em que mãos irei cair.
Poema indochinês, versão de Herberto Helder


Sem comentários:

Enviar um comentário