terça-feira, 24 de novembro de 2015

António Costa vinha pela esquerda*

... e pela esquerda vai continuar

* Este post estava feito há duas semanas, desde isto, e à espera disto

2 comentários:

  1. Na sequência da audiência hoje concedida pelo Presidente da República ao Secretário-Geral do Partido Socialista, Dr. António Costa, a Presidência da República divulga a seguinte nota:

    “As informações recolhidas nas reuniões com os parceiros sociais e instituições e personalidades da sociedade civil confirmaram que a continuação em funções do XX Governo Constitucional, limitado à prática dos atos necessários para assegurar a gestão dos negócios públicos, não corresponderia ao interesse nacional.

    Tal situação prolongar-se-ia por tempo indefinido, dada a impossibilidade, ditada pela Constituição, de proceder, até ao mês de abril do próximo ano, à dissolução da Assembleia da República e à convocação de eleições legislativas.

    O Presidente da República tomou devida nota da resposta do Secretário-Geral do Partido Socialista às dúvidas suscitadas pelos documentos subscritos com o Bloco de Esquerda, o Partido Comunista Português e o Partido Ecologista “Os Verdes” quanto à estabilidade e durabilidade de um governo minoritário do Partido Socialista, no horizonte temporal da legislatura.

    Assim, o Presidente da República decidiu, ouvidos os partidos políticos com representação parlamentar, indicar o Dr. António Costa para Primeiro-Ministro.”

    24.11.2015

    ResponderEliminar
  2. Foi a "saca-rolhas" !
    E chiu que vêm aí os comunistas…

    Todos sabemos que este foi o passo mais fácil.
    Todos sabemos que vai haver muito diálogo, conversa, debate, discussão, nos gabinetes da AR entre os quatro do entendimento.
    Todos sabemos que, caso esta experiência não tenha sucesso (e as pressões internas e externas são diárias e serão diárias), nos esperam 40 anos de uma direita ressabiada e anti tudo, rigorosamente tudo, o que cheire a Abril.
    Todos sabemos que até dentro dos quatro não há unanimidade nesta solução; até no grupo parlamentar do PS está um “iluminado” chamado Ascenso Simões que já veio defender o fim da eleição universal do PR, que passaria a ser escolhido por um colégio eleitoral, qual Américo Tomáz…
    Todos sabemos que o último acto político relevante que está destinado a Cavaco, é dar posse a um governo PS com apoio da esquerda parlamentar, curioso!

    Curioso como tudo começa na diferença entre "indicar" e "indigitar"….!!!
    Curioso como nessa personagem sempre faltou o ADN do contraditório; da síntese e antítese; do eu penso…; da herança grega que se aprendia nos liceus do pensamento filosófico pátrio.
    E termino com uma citação do Prof. José Barata " Na minha terra, quando já não há mais para qualificar a falta de caracter, o narcisismo pimba, a convicção de que é chefe sem o ser, parolo, inculto, labrego, parvenue, pouco dotado, manholas, jogador vingativo e sei lá que mais...na minha terra essa pessoa é RELES."

    Au revoir HomusCavacum!

    ResponderEliminar