terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A caminho da quarta bancarrota

A  terceira república não aprendeu nada com a bancarrota de 1977 e não aprendeu nada com a de 1983. 

Até o acontecido em 2011 parece já ter esquecido:


Depois de milhares de milhões de euros de privatizações derretidos, depois de milhares de milhões de euros de fundos comunitários "executados", a dez longos meses das eleições legislativas, os "partidos do arco da corrupção" preparam-se para jogar o jogo do costume:

3 comentários:

  1. Aprendeu; a dizer mal do Socialismo e este a ser posto na Gaveta pelo Marocas e outros militantes da mesma agremiação (já se pode assim tratar o Democracia Man, dada a idade ternurenta ;). Bela escolha de etiquetas! Um must!!!

    ResponderEliminar
  2. Este post merecia uma resposta pensada. Mas, com as festas e os afazeres familiares, não há tempo. Fica para mais tarde.

    No entanto, não posso , não quero, não seria justo deixar de fazer uma confissão pública em época natalícia: peço perdão!

    Estou arrependido:
    - de ter vivido acima das minhas possibilidades;
    - de ter obrigado o meu filho a sair da sua zona de conforto e o enviado, como emigrante, para a Holanda;
    - de ter contribuído para a ceia triste e desoladora que a família Salgado terá hoje;
    - de não ter dado atenção ao senhor angolano que dava dinheiro a quem pedia, mas hoje não se recorda a quem;
    - de não ter sido um cidadão responsável e ter comparticipado mais com os meus impostos na compra desses bens essenciais para o meu país, que foram os submarinos;
    - de ainda não ter visitado o preso político em Évora;
    - de ter acreditado que com Nuno Crato a educação ia ter via verde;
    - de não ter ligado a tv para ouvir a mensagem de Natal das múmias de Belém;
    - de ainda não ter dado conta que a actividade da CM de Viseu são só festas;
    - de ainda não ter entendido que aqueles senhores tudólogos (Marcelos, Mendes, etc…) afinal são tosos primos nos negócios uns dos outros;
    - de continuar a pensar que o Costa do PS é um jogo de sombras;
    - de ainda não ter conseguido atingir os objectivos dos Livres; Podemos; Plataformas e etc;
    - de ainda estar a rir de uma entrevista de uma senhora (jovem) deputada do PC que desconhecia os Gulag;
    - de o BE passar a ter um microfone em vez de um conjunto musical;
    - de não ser o único arrependido no Natal: afinal o senhor Amorim, o deputado, também está arrependido de meter esmifrado;
    - sou um português ingrato, pois ainda não alcancei a importante papel de pessoas como Relvas; Vitorino e …., os chamados facilitadores de negócios;
    - sou um português ingrato !

    De tudo isto, e do que mais me lembrar durante o dia de hoje, vou penhoradamente pedir perdão na missa do galo!

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o Sr Anónimo: bela escolha de etiquetas! Um must!!!

    Saudades para todos!

    ResponderEliminar