quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Formigueiros*

* Texto publicado hoje no Jornal do Centro


     1. O mundo wiki é contra-intuitivo porque incorporámos a ideia que só o interesse faz mexer as pessoas. Ora, se a única motivação das pessoas fosse o ganho pessoal, como explicar as milhões de pessoas a fazerem verbetes gratuitamente para a Wikipédia ou a descarregarem vídeos no Youtube? Como explicar o facto destes armazéns de informação estarem com as prateleiras organizadas, acessíveis e à borla?
     O blogue Aventar já por duas vezes usou este método do formigueiro para fazer o que devia ter sido feito pelo estado. Quer o “Memorando de Entendimento”, quer agora o relatório do FMI, só tiveram versões em inglês. E isso é um sinal da nossa sina: somos um protectorado a falar em “estrangeiro” com governos que já nem têm energia para fingir que é de outro modo.
     Tanto em 2011 como agora o Aventar usou o método wiki: dividiu os textos em segmentos, fez um apelo na blogosfera, dezenas de pessoas mobilizaram-se, e surgiram as versões em português. Graças ao trabalho voluntário deste formigueiro, mesmo quem não leia Shakespeare no original já pode saber onde o FMI quer tesourar quatro mil milhões.
     Se agora a dupla Gaspar/Moedas for contratar uns boys para traduzirem aquela coisa, isso será “Má Despesa Pública” (nome de outro blogue que deve ser seguido e que também, muitas vezes, usa informação recolectada por formigas voluntárias).

     2. O anúncio da candidatura de José Junqueiro à câmara de Viseu deu origem a dois comunicados partidários a tentarem provar a existência política dos seus autores: um de Guilherme Almeida do PSD (que pensa que existe) e outro de Lúcia Araújo Silva do PS (que nem pensa nem existe).
     São coisas de aparelho que não distraem do essencial: 
perante o mais forte e mais sólido candidato que o PS podia escolher, o PSD candidata António Almeida Henriques ou Carlos Marta? Ou fica-se por uma figura de segunda?
    

4 comentários:

  1. Face à possibilidade de termos 2 candidatos elegíveis, sendo Junqueiro dum lado e Almeida Henriques do outro, alguém me saberá explicar a diferença?
    Vejo mais diferenças nos amigos que os apoiam, do que neles próprios.Acho que até as empresas são as mesmas. Será?

    ResponderEliminar
  2. "perante o mais forte e mais sólido candidato que o PS podia escolher, o PSD candidata António Almeida Henriques ou Carlos Marta? Ou fica-se por uma figura de segunda?"

    Amigo Alex, a pergunta é infeliz. Primeiro porque Junqueiro não é de longe nem o mais forte nem o mais sólido candidato que o PS poderia escolher.

    Por outro lado o PSD tem relamente figuras de primeira, mas não serão decerto as citadas.

    Certo é que precisamos de alguém com pouco ou mesmo menhum curriculo politico e com bom percurso profissional e empresarial.

    Disso Junqueiro não se pode gabar pois não?

    Quem sabe o que é chegar ao fim do mês e ter salários para pagar aos empregados? E o IVA? E a Segurança Social? E o pagamento Especial por Conta?

    É muito bom estar "pendurado" no Estado e na certeza de que se tem todos os direitos e quase nenhuns deveres!
    Mas esse não é o treino necessário para alguém que se propõe gerir um "barco" como a CM Viseu!

    António Carlos

    ResponderEliminar
  3. Amigo Alex, perante o quadro apresentado faltou a outra via ou solução.
    Eu sei que é recente porque só hoje foi revelada ou insinuada, a do CDS que neste quadro de candidatos (Américo pelo PSD e Junqueiro pelo PS) pode vir a colher os descontentes de cada um dos outros e revelar-se alargada.
    Só falta a tal comissão eleitoral anunciar o candidato que se vislumbra ser.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo,
      Sejam dadas as boas-vindas ao Hélder Amaral.
      Também seria muito interessante uma candidatura independente com força como a que se desenha para o Porto.
      Mas isso, infelizmente, não parece possível em Viseu.
      Cumprimentos

      Eliminar