sexta-feira, 4 de maio de 2018

O teatro do IP3

* Hoje no Jornal do Centro

1º Acto: 
29 de Março de 2008. Luzidia cerimónia no nobre concelho de Mortágua, com a augusta presença do primeiro-ministro José Sócrates. Lançamento da concessão da auto-estrada Viseu/Coimbra, mais um troço da “imprescindível” terceira auto-estrada Porto/Lisboa e mais o IC12 entre Mortágua e Mangualde. Um total de 191 quilómetros de novas vias e 740 milhões de euros. No evento, o ministro Mário “Jamé” Lino assegura que elas vão estar “completamente construídas em 2011”. Viu-se...

2º Acto: 
7 de Agosto de 2015. Luzidia cerimónia noutro local do nobre concelho de Mortágua, com a augusta presença do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho. Lançamento da “previsão do lançamento” do concurso para a “Via dos Duques” (novo nome da ligação Viseu/Coimbra), num investimento global de 399 milhões de capital privado e que lhe deverá render 456 milhões de portagens, nos 30 anos da concessão. É soprado um “início de obras no segundo semestre de 2016”. Viu-se...

Os dois primeiros actos deste teatro do IP3 foram descritos aqui em 21 de Agosto de 2015. Segue-se o:

3º Acto: 
Hoje, 4 de Maio de 2018. Luzidia cerimónia no nobre concelho de Tondela, com a augusta presença do ministro Pedro Marques.

A Infraestruturas de Portugal estudou três “cenários”: (A) duplicação de 85% do IP3 (75 km, 134 milhões de euros); (B) duplicação de 50% do IP3 e autoestrada paralela na outra metade, tudo portajado (82 km, 255 milhões); e (C) autoestrada paralela com portagens, ficando o IP3 como alternativa gratuita (82 km, 302 milhões).

O “cenário” A é péssimo, o B é metade péssimo e metade bom, o C é bom. O ministro, ao que se diz, vai pelo péssimo, o mais barato.

Deixámos que a A25 nos estragasse o IP5 porque acreditámos quando nos disseram que a A25 não ia ter portagens. Vamos repetir a asneira? Vamos deixar que nos estraguem também o IP3? 


Depois, na próxima bancarrota, para fugirmos aos pórticos, regressamos às curvas do Luso?

1 comentário:

  1. Lucido comentário.
    Propaganda a rodos, realizações nulas.
    Somos uma casa da folha Excel!
    Pórticos no horizonte?


    ResponderEliminar