quarta-feira, 11 de abril de 2018

Zombie*

* Publicado no Jornal do Centro há exactamente dez anos, em 11 de Abril de 2008 

Daqui
1. No dia 4 de Abril, o Washington Post trazia um artigo - “Every click you make”, de Peter Whoriskey - que explica como alguns fornecedores de acesso à net processam a informação acerca dos nossos hábitos, das nossas pesquisas, dos nossos mails, dos sites e dos blogues que consultamos. Eles usam sistemas com algoritmos cada vez mais sofisticados para fazerem os perfis de cada cliente. Aquele artigo do Post é um bom ponto de partida para quem quiser aprofundar o tema.

Para melhor compreensão do que está em causa, deixo-lhe só um exemplo do que já é possível com as tecnologias disponíveis: às 17 horas, o cidadão X procura no Google preços de um GPS; às 17H15, o mesmo cidadão, de clique em clique, chega ao site de um jornal português e aparece-lhe, a ele e só a ele, um anúncio da TomTom.

E se toda esta informação, que acaba por saber mais de nós que nós próprios, cai em mãos erradas?

2. Quatro dias depois da manifestação de cem mil professores em Lisboa, o ministério recuou na “avaliação dos professores”. Aprovou um memorando que fala em “processos de avaliação (…) simples”e em “diferentes ritmos e condições para a concretização”; fala, como não podia deixar de ser, da criação de um grupo de trabalho e termina a prometer futuras “compensações” para os avaliadores.

Traduzido para língua de gente, aquele memorando quer dizer que, na “avaliação de professores”, ficou tudo menos a avaliação. Ficou uma palhaçada que vai custar dezenas de milhar de horas de trabalho inútil, a fazer até Julho, e que vai dar “Bom” a todos os avaliados.

As escolas vão ter de fazer uma tarefa estéril só para “salvar a face” à ministra. E, afinal, para quê? Maria de Lurdes Rodrigues, agora, já pouco mais é de que um zombie político.

Sem comentários:

Enviar um comentário