quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

“Professorzecos”*

* Publicado no Jornal do Centro há exactamente dez anos, em 29 de Fevereiro de 2008


1. Falei duas vezes com José Manuel Silva: uma em 2001 quando ele era candidato pelo PS à Câmara de Leiria e eu era candidato à de Viseu; a outra vez foi no princípio de 2006, no Museu Grão Vasco, num encontro informal que ele promoveu para ouvir professores quando era Director Regional de Educação do Centro.

Na altura, ainda com menos de um ano no governo, a Ministra da Educação era gabada por todos os lados, (até Marques Mendes lhe cantava hossanas!), mas eu já tinha percebido que ela tinha uma política centralista e autoritária para as escolas e de facilitismo para os alunos. Disse isso alto e em bom som e pedi a demissão de Maria de Lurdes Rodrigues. José Manuel Silva olhou-me nos olhos. Falou da necessidade de mobilizar os professores e de não os agredir.


Nas reuniões no Ministério, ele era o único a defender que os professores eram mobilizáveis e entusiasmáveis para melhorarmos as nossas escolas. Era o único com bom-senso. No Ministério da Educação ninguém o quis ouvir pois manda lá gente que tem um preconceito mau contra os “professorzecos” (entre aspas porque é uma citação). Por isso, quando, ainda em 2006, José Manuel Silva deixou a DREC, não fiquei surpreendido. Presto-lhe aqui a minha homenagem. O seu blogue é: Campo Lavrado.


Daqui — onde também  se recorda 
o episódio de bufaria na DREN
2. Todos os professores do PS que pensam ir a votos para o ano que vem é melhor dizerem já (e de forma que se oiça) o que pensam do bufo da DREN; é melhor dizerem já (e de forma que se oiça) o que pensam desta política esquizofrénica que não deixa que os professores foquem as suas energias no essencial: a preparação das aulas e dos seus alunos.

Sem comentários:

Enviar um comentário