terça-feira, 4 de julho de 2017

respiro-te devagar

Fotografia de Panteha Abareshi



respiro-te devagar
tenho medo da memória
da música e da inclinação da garganta

suspensos os dedos
curvos os beijos
o teu peito podia ser um navio.

então é devagar que eu chego
ao abrigo das palavras
debaixo de chuva
perdida no bosque.

não acordes. a tua presença é mais doce
quando te beijo doce. simplesmente.
Isabel Mendes Ferreira


1 comentário:

  1. "And Now For Something Completely Different"

    Abusando da hospitalidade do Sr Gato e usando a linguagem “futebolês” de Nuno Santos (fugir de ouvir e nem pensar em ver…), pergunto:
    A direita - PSD e CDS - acabou com muitos serviços públicos, desorganizaram outros tantos, cortaram no pessoal e no orçamento da administração pública, reduziram o Estado a serviços mínimos, sempre fieis à doutrina "menos estado, melhor estado". Talvez fosse melhor a direita "pôr a mão na consciência" quando pede a demissão de ministros.

    Mas eu pergunto: qual consciência?
    Mas eu também pergunto: e Costa fez bem em ir de férias?

    ResponderEliminar