sábado, 17 de junho de 2017

Que o teu saber não humilhe o teu próximo

Foto Olho de Gato


Que o teu saber não humilhe o teu próximo.
Cuidado, não deixes que a ira te domine.
Se esperas a paz, sorri ao destino que te fere;
não firas ninguém.

Busca a felicidade agora, não sabes de amanhã.
Apanha um grande copo cheio de vinho,
senta-te ao luar, e pensa:
Talvez amanhã a lua me procure em vão.

Que pobre o coração que não sabe amar
e não conhece o delírio da paixão.
Se não amas, que sol pode te aquecer,
ou que lua te consolar?

Hoje os meus anos reflorescem.
Quero o vinho que me dá calor.
Dizes que é amargo? Vinho!
Que seja amargo, como a vida.

É inútil a tua aflição;
nada podes sobre o teu destino.
Se és prudente, toma o que tens à mão.
Amanhã... que sabes do amanhã?

O vasto mundo: um grão de areia no espaço.
A ciência dos homens: palavras. Os povos,
os animais, as flores dos sete climas: sombras.
O profundo resultado da tua meditação: nada.

O mundo gira, distraído dos cálculos dos sábios.
Renuncia à vaidade de contar os astros
e lembra-te: vais morrer, não sonharás mais,
e os vermes da terra cuidarão da tua carcaça

A vida é um jogo monótono que dá dois prêmios:
A Dor e a Morte.
Feliz a criança que expirou ao nascer;
mais feliz quem não veio ao mundo.

Nunca murmurei uma prece,
nem escondi os meus pecados.
Ignoro se existe uma Justiça, ou Misericórdia;
mas não desespero: sou um homem sincero.

Além da terra, além do infinito,
eu procurava em vão o céu e o inferno.
Mas uma voz interior me disse:
O céu e o inferno estão em ti mesmo.
Omar Khayyam


1 comentário:

  1. Afeto, amor, compreensão - eis os alicerces da vida.
    Escrevemos com amor o poema da adolescência.
    Com a música do amor, orquestramos a grande canção da existência.

    E tu, cético diante da ternura,
    impermeável ao sentimento,
    aprende esta verdade:
    A vida é Amor, e nada mais!
    (Rubáiyát)
    Omar Khayyám

    ResponderEliminar