sábado, 11 de fevereiro de 2017

O amor pelo ínfimo nunca me deixou ficar mal

Fotografia de Susan Meiselas


O amor pelo ínfimo nunca me deixou ficar mal.
Medes a vida pelos filhos que hão-de ficar
e eu digo-te que nada fica
— nem a Eternidade.

E mesmo o até que a morte nos separe
não está garantido,
porque a morte é uma coisa
que nos vai acontecendo
várias vezes ao dia.
Ana Tecedeiro


Sem comentários:

Enviar um comentário