domingo, 8 de janeiro de 2017

Citröen DS — Boca-de-sapo

Há na D. S. o esboço de uma nova fenomenologia do ajustamento, como se se passasse de um mundo de elementos soldados a um mundo de elementos justapostos, que se aguentam pela virtude exclusiva da sua forma maravilhosa, o que, bem entendido, constitui uma introdução à ideia de uma natureza mais fácil.

A «Déesse» é, visivelmente, uma exaltação do vidro, e a chapa não é mais do que uma base. 


Mangualde
Fotografia Olho de Gato

Aqui, os vidros não são janelas, aberturas perfuradas na carroceria obscura, mas grandes superfícies de ar e de vazio, com a curvatura evidente e o brilho das bolas de sabão, com a delgadeza dura de uma substância mais entomológica do que mineral (a insígnia Citröen, com flechas, tornou-se aliás uma insígnia alada, como se agora se transitasse de uma ordem da propulsão para uma ordem do movimento, de uma ordem do motor para uma ordem do organismo).


Trata-se pois de uma arte humanizada, e pode bem ser que a «Déesse» represente uma metamorfose na mitologia automobilística.
O Novo Citröen, in Mitologias (1957)
Roland Barthes

Sem comentários:

Enviar um comentário