sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

“Justiça” *

* Texto publicado hoje no Jornal do Centro


1. A vida está a correr bem a Ricardo Salgado: se for levado a tribunal, vai poder usar para sua defesa uma declaração recente de António Costa a atirar o ónus do colapso do BES para cima de Pedro Pedro Passos Coelho.

Mas há mais: o ex-dono-disto-tudo faliu a PT, esfandingou as poupanças de milhares de fregueses, pôs o espírito santo numa fossa funda, mas, apesar disso, a nossa “justiça” acaba de decidir que ele já pode ir flautear-se para fora do país.

Estes fffff todos são para não escrever a palavra começada por éfe em que o leitor está a pensar.

2. Guillermo Fariñas é um homem prematuramente envelhecido. Tem no corpo as marcas de onze anos nas masmorras cubanas e de 24 greves de fome.

Aquele dissidente — que em 2010 foi Prémio Sakharov do Parlamento Europeu — veio cá há um ano dar uma conferência no Dia Internacional dos Direitos Humanos (11 de Dezembro), um acto que teve pouco impacto nos media e foi ignorado pelo governo e pelo presidente da assembleia da república.
Eram os primeiros dias da geringonça e faltou coragem ao PS para afrontar a esquerda. É de crer que, se fosse agora, com o bloco e o PCP domesticados, António Costa e Ferro Rodrigues, homens da liberdade como são, não repetiam aquela vergonha.

Lembro aqui Guillermo Fariñas porque heróis como ele merecem ser homenageados, especialmente depois da lixiviação a que se assistiu no parlamento e na comunicação social ao torcionário Fidel.

E porque, em entrevista ao Público, ele explicou como funciona aquela monarquia comunista: o filho de Raúl Castro, Alejandro Castro Espín, “manda em todos os ministérios” e o genro, Rodríguez López-Calleja, está “à frente de toda a economia”. Fariñas disse ainda que está tudo preparado para as eleições de 2018 serem ganhas por Miguel Diáz-Canel, marido de uma neta do líder cubano.

Esta previsão eleitoral sombria pode não acontecer se Trump concluir o que Obama iniciou. O fim do bloqueio americano é o fim dos Castros.

1 comentário:

  1. Somos incapazes?

    Filhos do embaixador iraquiano saíram de Portugal
    https://www.publico.pt/2016/12/13/sociedade/noticia/filhos-do-embaixador-iraquiano-e-os-pais-sairam-de-portugal-1754726

    Ricardo Salgado já pode sair do País sem autorização judicial
    http://www.dn.pt/portugal/interior/ricardo-salgado-ja-pode-sair-do-pais-sem-autorizacao-judicial-5548207.html

    Manuel Godinho pode sair do país, Relação revogou medidas de coação
    http://www.dn.pt/portugal/interior/face-oculta-manuel-godinho-pode-sair-do-pais-relacao-revogou-medidas-de-coacao-5552662.html

    Como se dizia no meio tempo de garoto: “isto é do catrino!” (já que não posso usar o seu significado castiço)
    Estes exemplos de impunidades são desesperantes. Não dá mesmo para levar este país a sério senão um gajo morre novo. Um país onde as pessoas não vivem, sobrevivem. Adiante. A emissão segue dentro de momento.
    Depois de ler os jornais: o Passos Coelho tem medo das autárquicas?

    " por que me sinto assim,
    Se tudo brilha em si?
    Quero ir embora daqui,
    Longe de mim. " (Adanowsky)


    ResponderEliminar