segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Soneto do membro monstruoso

Museu do Vaticano

Esse dysforme, e rigido porraz
Do semblante me faz perder a cor:
E assombrado d'espanto, e de terror
Dar mais de cinco passos para traz:

A espada do membrudo Ferrabraz
De certo não mettia mais horror:
Esse membro é capaz até de pôr
A amotinada Europa toda em paz.

Creio que nas fodaes recreações
Não te hão de a rija machina soffrer
Os mais corridos, sordidos cações:

De Venus não desfructas o prazer:
Que esse monstro, que alojas nos calções,
É porra de mostrar, não de foder.
Manuel Maria Barbosa du Bocage



Malta que veio dos Balcãs às Caldas da Rainha em missão de espionagem:

Sem comentários:

Enviar um comentário