terça-feira, 11 de outubro de 2016

Recusa

Pintura de Isamaya Ffrench



I

É muito possível durante os primeiros meses
uma importante viagem à Ásia — essa
é uma das consequências
secretas
em que não se tomaram quaisquer resoluções finais
e ambas chegaram igualmente.






II

ainda um cu marinho de agonia onde eu
sou um copo de aguardente francesa e tu
uma gaivota que passa rente ao barco que me leva






III

— Eu sou uma coisa qualquer
Eu sou uma qualquer coisa
sou uma qualquer coisa eu
uma qualquer coisa eu sou
qualquer coisa eu sou uma
coisa eu sou uma qualquer
EU NÃO SOU UMA COISA QUALQUER
— eu sou uma cidade
— eu sou ZANONI de Bulwer Lyton
— eu sou uma errata
— onde está a minha vida deve-se a ver a nossa vida
— onde está Deus deve-se ver o Diabo
— onde está o Amor deve estar o Grande Amor Mágico Amor Meu
— onde estou Eu deves estar Tu
— onde estão os lábios da nossa vida HÁ uma porta secreta minúscula

O-AMOR
MEU AMOR
António Maria Lisboa


Sem comentários:

Enviar um comentário