sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A eira*

* Texto publicado hoje no Jornal do Centro


Fotografia Olho de Gato
1. No início da tarde de sábado, depois de um bocado no Rossio de Viseu, decidi ir espreitar a feira de produtos em segunda mão que a Junta de Freguesia realizava no Mercado 2 de Maio.

O Rossio estava cheio de gente à sombra das tílias, mas aquela “eira” imaginada por Siza Vieira era uma frigideira insuportável sem um cliente. Tirei uma fotografia à enfezada sombra das magnólias que publiquei no blogue Olho de Gato e nas redes sociais, ao mesmo tempo que zurzia no arquitecto por se ter esquecido que “aquele lajedo disfuncional precisava de sombra.”

Não apareceu ninguém no Facebook a defender aquele “tropeço” granitoso que foi lá posto, em 2003, a substituir o saibro inicial. Quanto aos dezasseis anos das magnólias, recebi um comentário que dizia o essencial: pôr ali uma “árvore subtropical de folha perene e de crescimento lento” foi um erro, deviam ter sido postas lá árvores de folha caduca, de “rápido crescimento, excelentes sombras de verão e pleno sol quando mais precisamos, [no] inverno.”

2. A câmara lançou um concurso de ideias para cobertura daquele espaço que impunha a manutenção das magnólias e um estacionamento subterrâneo. A seguir, pensou melhor e desistiu do parque subterrâneo. Em 11 de Dezembro, aplaudi aqui essa desistência mas avisei: “criação em cima de premissas escorregadias corre o alto risco de trambolhar, de virar má criação” e pedi à câmara: “por favor, pense bem no que quer antes de lançar um necessário novo concurso de ideias para o Mercado 2 de Maio.”

Como as coisas estão, a câmara tem duas alternativas:
(i) convencer Siza Vieira a mudar o pavimento e utilizar árvores de crescimento rápido que assombrem aquela praça no Verão e a desassombrem no Inverno;
(ii) lançar um novo concurso de ideias com cabeça, tronco e membros, inatacável em termos jurídicos e conceptuais.

Era bom para Viseu que António Almeida Henriques tentasse com determinação a primeira alternativa junto do bom-senso do mestre.

-----------------------
Ver "bibliografia" sobre este assunto aquiaquiaqui, aqui , aqui e aqui

2 comentários:

  1. Esta situação não parece ter fim ou solução.
    Um espaço amplo,calmo,central,etc e tal e que a cidade não desfruta.
    Organizem-se,carago!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É ver a bibliografia no rodapé deste post, JB

      Organizem-se, carago!

      Eliminar