quarta-feira, 30 de março de 2016

Ai meu amig'e lume destes meus olhos

Fotografia de Christer Strömholm


Ai meu amig'e lume destes meus
olhos e coita do meu coraçom,
por que tardastes, há mui gram sazom?
Nom mi o neguedes, se vos valha Deus,
............ca eu quer'end'a verdade saber,
............pero mi a vós nom ousades dizer.

Dizede-mi quem mi vos fez tardar,
ai meu amig', e gradecer-vo-lo-ei,
ca já m'end'eu o mais do preito sei
e nom vos é mester de mi o negar,
............ca eu quer'end'a verdade saber,
............pero mi a vós nom ousades dizer.

Per bõa fé, nom vos conselhou bem
quem vos esta tardada fazer fez,
e, se mi vós negardes esta vez,
perder-vos-edes comigo por en,
............ca eu quer'end'a verdade saber,
............pero mi a vós nom ousades dizer.
Martim de Caldas






1 comentário: