segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Um outro poema de amor

Fotografia de Andreas Feininger 



No fundo, as relações entre mim e ti
cabem na palma da mão:
onde o teu corpo se esconde e
de onde,
quando sopro por entre os dedos,
foge como fumo
um pequeno pássaro,
ou um simples segredo
que guardávamos para a noite.
Nuno Júdice







Sem comentários:

Enviar um comentário