quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Todo aquele que morre por amor de sua amada

Fotografia de Michael Ackerman


— Todo aquele que morre por amor de sua amada
é um pequeno caimão que a própria mãe devora,
e que regressa ao ventre de que tem toda a ciência.
Poema de Madagáscar
Versão de Herberto Helder


Sem comentários:

Enviar um comentário