domingo, 27 de dezembro de 2015

Uma história

Fotografia de Angèle Etoundi Essamba


Fui rendido por um jovem negro.
Eu só tinha dez reais então
fomos ao banco tirar duzentos
olhando um para o pé do outro.
Eu era assistente de electricista.
E agora, vai assaltar para sempre?
Só por um tempo, ajudar minha avó,
fazer curso de electricista.
Estávamos chegando perto do banco.
Qual é seu nome?
Manuel.
Ó pá! (rimos) Manuel, pago um curso
desses pra você, que tal?
Então paguei o curso de dois anos
e ficamos em contacto.
Sua avó morreu. Ele se formou
e se mudou para um subúrbio mais
calmo, casou com uma negra linda
chamada Irene que trabalha
em telecomunicações, fui ao casamento.
Ela enchia o rosto de maquiagem
como quem mergulha em adjectivos.
Manuel e Irene tiveram dois filhos
e sou padrinho de ambos,
o menino é Sílvio.
Manuel comprou um carro,
na avenida Brasil foi assaltado,
reagiu, morreu.
Dei ajuda financeira para Irene.
Eu e Irene chorávamos pelo Manuel
transando loucamente.
Sylvio Fraga












Sem comentários:

Enviar um comentário