quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Caracolices

Passaram 122 horas desde que fecharam as urnas no Açores.
Passaram mais de quatro dias.


Os deputados ainda não tomaram posse.
Ainda não temos governo.

Tudo lento.
Movido a petróleo.

Um dia destes, devagarinho, lá vão ver se o "Nós, Cidadãos" sempre abicha um dos tradicionais três deputados do PSD pela emigração ou se fica tudo na mesma como a lesma.

Perdão, tudo na mesma como o caracol.




Depois, devagarinho, lentamente, sem stress, depois de tudo carimbado no ritmo lento do tempo das mangas-de-alpaca, lá andarão as coisas.

Devagarinho.

Este rame-rame está tão interiorizado nas pessoas que elas até acham que assim é que é natural. Houve até quem tivesse criticado Cavaco por não ter ficado quieto à espera dos carimbos todos. Na Grécia, em dois dias depois dos votos têm governo novo. Aqui, é como o caracol.

Aqui está uma coisa que era bom que Passos e Costa acertassem — estamos numa fase de instabilidade governativa, há sérios riscos de queda de governo e ficarmos meses e meses até a vontade do povo fazer efeito.

Comprimam este calendário. Ponham a terceira república no século XXI.

Sem comentários:

Enviar um comentário