sexta-feira, 24 de julho de 2015

Bayazid

Imagem daqui



Libertei-me de Bayazid
como uma cobra de sua pele...
Apercebi-me então
que o amor a amada e o amante
se confunde... Eu sou o vinho
o bebedor e o escanção...
Pérsia — Séc. IX — autor desconhecido
Trad.: Jorge Sousa Braga

Sem comentários:

Enviar um comentário