segunda-feira, 4 de maio de 2015

Horas despidas

Fotografia de Eva Rubinstein



Cada dia é mais evidente que partimos
Sem nenhum possível regresso no que fomos,
Cada dia as horas se despem mais do alimento:
Não há saudades nem terror que baste.
Sophia de Mello Breyner Andresen



1 comentário: