quarta-feira, 15 de abril de 2015

falhámos tudo

Fotografia de Yasuhito Wakabayashi

falhámos tudo: entregámos
os livros ao sepulcro
das estantes, ao amor

demos um colo de horas
certas, deixámos de abrir
janelas para cheirar a noite.

já nada nos lembra
que o poema só se forma
no fio da navalha.
Renata Correia Botelho


Sem comentários:

Enviar um comentário