terça-feira, 17 de março de 2015

«Procuro a pobreza na linguagem» — o último filme do Godard no Cine Clube de Viseu esta terça-feira



«Procuro a pobreza na linguagem» — diz uma personagem do último filme de Jean-Luc Godard que o Cine Clube de Viseu exibe, nesta terça-feira, no IPDJ da cidade.

"Adeus à Linguagem" é uma "experiência visual" que recebeu o prémio do júri do Festival de Cannes, em 2014, "ex-aequo" com "Mamã", de Xavier Dolan.

Não vi o filme, mas pelo trailer...



... dá para perceber que ele não tem a radicalidade de A Máscara, de Ingmar Bergman, em que a protagonista consuma literalmente o adeus à linguagem, recusando-se a falar.

Ver Jean-Luc Godard é sempre um desafio.


Listo os quatro factores que mais causam erosão à linguagem enunciados por George Steiner, e que vou procurar no filme de Godard:

1 — Dada: "no interior da própria literatura apareceu um movimento anti-linguagem";

2 —  Lógica formal de Wittgenstein e positivismo lógico: "a confiança no meio através do qual se comunica (...) torna-se-nos simplesmente inacessível";

3 — Expansão da matemática e ciências exactas: "diminuiu o campo para a linguagem descrever o real, os 'factos naturais'";

4 — Distorção das palavras: "pelos meios de comunicação de massas e pelas mentiras da barbárie política moderna. 
Esta brutalização e profanação da palavra é muito provavelmente uma das principais causas da vaga de autodestruição (...) "

«Na minha boca», diz Ionesco, «as palavras morreram.»

Sem comentários:

Enviar um comentário