domingo, 8 de fevereiro de 2015

Do tempo

Fotografia de Federico Patellani

Deus nos pede do tempo estreita conta!
É forçoso dar conta a Deus do tempo.
Mas como dar, do tempo, tanta conta,
Se se perde sem conta tanto tempo?!

Para fazer, a tempo, a minha conta,
Dado me foi, por conta, muito tempo,
Mas não cuidei no tempo e foi-se a conta...
Eis-me agora sem conta, eis-me sem tempo...

Ó vós que tendes tempo e tendes conta,
Não o gasteis, sem conta, em passa-tempo,
Cuidai, enquanto é tempo, em terdes conta.

Ah! Se quem isto conta do seu tempo
Tivesse feito, a tempo, apreço e conta,
Não chorava, sem conta, o não ter tempo.
Frei Castelo Branco


1 comentário:

  1. “Deus nos pede do tempo estreita conta!
    É forçoso dar conta a Deus do tempo.”

    Este post tem duas descobertas muito gratificantes: o fotógrafo e o poeta.
    No meu Liceu do "fassismo" não me recordo de ter falado em Frei Castelo Branco; nas boas e estimulantes aulas de Literatura, onde efectivamente liamos, comentávamos e estudávamos as obras literárias e nãos os resumos, os resumos dos blogs ou os resumos dos explicadores (e já agora uma nota de rodapé: devia haver na cidade um ranking de escolas secundárias para explicadores. Talvez isso explicasse muita coisa…).

    Mas quando temos um Presidente que não presta homenagem a Saramago ou não reconhece o mérito a Carlos do Carmo, o que esperar? Um fadinho da Cátia Guerreiro ou uma “obra prima” da Joana Vasconcelos, óbvio!

    Mas vem este já longo e viperino introito a propósito de uma entrevista dada, na edição 6ª feira, ao semanário SOL pelo secretário geral da UGT, um tal de “douto” Carlos Silva, que vale a pena ler. No mesmo dia em que o poderoso sindicato alemão IGMetal apoia a luta do governo grego e dos trabalhadores gregos o secretário geral da UGT demonstra a sua pequenez e a sua mediocridade.
    Frases como: "Com o salário mínimo à grega metade das empresas fecham" ou "Paulo Portas tem uma postura mais positiva com o FMI do que o Syriza", são um pequeno exemplo de um “líder” dos trabalhadores com pensamento no mínimo retrógrado. Ao defender como positiva a acção do governo e que a relação do PS deve ser com a direita, a UGT vai por um caminho que só pode terminar com o regresso deste senhor ao BES… (Novo Banco).
    É que quando chegamos a isto está tudo dito. Nem vale a pena fazer comentários. A entrevista é "exemplar ".

    No fim um conselho ao Sr Silva, dado por Frei Castelo Branco:
    “Ó vós que tendes tempo e tendes conta,
    Não o gasteis, sem conta, em passa-tempo”

    ResponderEliminar