domingo, 9 de novembro de 2014

OFICINA DE ESCÁRNIO E MALDIZER — uma experiência malvada por Carlos Santiago

“Difficile est satyram non escribere”


A Oficina de Escárnio e Maldizer propõe-vos uma experiência malvada. 

Duas semanas de experimentação com a literatura do mal e a velha arte galaico-portuguesa do escárnio e o maldizer. 

A ironia, o sarcasmo, a paródia, a farsa, a burla, o absurdo, ou a trova obscena... todas as armas retóricas do diabo são permitidas com um único fim: produzir textos hilariantes contra a realidade cinzenta que sublimem a nossa cólera e apresentá-los em sessão única e extraordinária perante um público selecto.


A Oficina de Escárnio e Maldizer é dirigida por Carlos Santiago, escritor, dramaturgo e monologuista galego com alargada experiência no género satírico. 

É autor de diversas peças de teatro, tanto em galego como em português, 
— entre as quais, “Au Gaciar”, “Mamã Lusitânia”, “Ratman e Bobyn”, “Ascensão e Queda de Zé Grotewski”, “Finlandia”, “Abraço de Ferro”, “A República de Gundián” ou “Ruína”—,
 e um dos artistas habituais das Ultranoites, mítico cabaret de Santiago de Compostela com mais de vinte anos de existência, no que são célebres os seus monólogos sob a personagem do Apóstolo Santiago, líder espiritual da direita espanhola.


Sessões
A oficina estrutura-se em em sete sessões, nos dias 24, 26, 28 e 29 de Novembro e 1, 3 e 5 de Dezembro e uma apresentação pública no Lugar do Capitão, no dia 6 de Dezembro. O horário das sessões é flexível e a decidir na primeira sessão.

Programa
Introdução à arte satírica e a malandrice literária. Leituras e visualizações de materiais textuais e audiovisuais. Análise satírica de temas da actualidade. Exercícios de criação textual nos diversos géneros da literatura diabólica. Breve formação nas técnicas de stand up e a narração oral. Encenação de textos e apresentação pública.

Público-alvo
Qualquer pessoa com um mínimo sentido do humor, a poder ser maligno, que queira desenvolver o seu talento para a criação textual e a comunicação pública.

Idade mínima
É apenas requerido ter consciência da diferença entre o bem e o mal. Não é preciso ter direito a voto.

Número de vagas
Mínimo de 8 e máximo de 12.

Preço
40 paus

No final da oficina os participantes realizarão uma selecção dos textos que irão fazer parte do próximo número da Ferramenta Zine.

Sessões a realizar

Inscrições

Sem comentários:

Enviar um comentário