segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Os ricos cheios de trabalho, preocupações

Fotografia de Francesca Woodman




Os ricos cheios de trabalho, preocupações,
lutam por tudo, contentam-se com nada.
Mesmo com arroz bolorento nos celeiros,
incapazes de emprestar uma malga a um pobre.
Só pensam nos bens, no lucro,
transformam pano reles em seda de primeira.
Um dia todos irão dar um último suspiro,
só as moscas lhes apresentarão condolências.
Han Shan
Trad.: António Graça de Abreu


1 comentário:

  1. Preocupações...diz bem:

    Exemplo 1: " Gosto de passar férias na Comporta. É como brincar aos pobrezinhos"
    Exemplo 2: " «Vamos ter que empobrecer muito, mas sobretudo vamos ter que aprender a viver mais pobres»
    Exemplo 3: "Sou mais adepta da caridade do que da solidariedade social"

    E fiquemos por aqui que este post “caritativo-corporativista" (provocação...) já me faz lembrar as saídas da missa, nos meus anos de miúdo, em que ouvia as senhoras a darem a esmola e a dizerem "Toma lá. Mas não é para o vinho".

    "Na minha família os animais domésticos não eram cães nem gatos nem pássaros; na minha família os animais domésticos eram pobres. Cada uma das minhas tias tinha o seu pobre, pessoal e intransmissível, que vinha a casa dos meus avós uma vez por semana buscar, com um sorriso agradecido, a ração de roupa e comida" - António Lobo Antunes

    "Os pobrezinhos
    tão engraçados
    pedem esmolinha
    com mil cuidados

    Todos sujinhos
    e tão magrinhos
    a linda graça
    dos pobrezinhos....."

    Armindo Mendes de Carvalho

    E fiquemos por aqui que este assunto está a perturbar a minha leitura do Financial Times.
    Afinal é uma matéria de pentelhos, como dizia o outro próchinês...e pobre!

    Preocupações....!

    ResponderEliminar