terça-feira, 21 de outubro de 2014

A este vilancete velho

Fotografia de Sophie Calle





Saudade minha
quando vos veria?


Por terra já assi,
tudo em tal mudança,
que faz inda aqui
nenhuma esperança?
A minha lembrança,
a minha perfia,
que mais aperfia?

Que faz um desejo
tão desenganado?
Que faz o sobejo
deste meu cuidado,
comigo apartado
quando anoitecia,
quando amanhecia?

Saudades e suspeitas
a torto e a direito,
não sereis desfeitas,
quando eu for desfeito?
Inda o frio peito,
inda a língua fria
por vós bradaria.
Sá de Miranda



1 comentário: