sábado, 12 de julho de 2014

Não olhem para trás, meus filhos

Fotografia de Joseph Szabo


Não olhem para trás, meus filhos.
Um mar viscoso e ardente fica lá em baixo.
O ar áspero fere como se fosse areia

e aqui, por estes pilares salgados,
estão os que não perdoam. Segurem-se
ao rebordo da montanha, mesmo que

se desfaça em pó. Caminhem ou rastejam,
deixem que as rochas firam os pés sem piedade.
E esqueçam a cidade fumegante. Deus castiga os que se arrependem.
Elaine Feinstein


Sem comentários:

Enviar um comentário