quinta-feira, 19 de junho de 2014

A leitura segurista dos estatutos do PS


Mesmo que os militantes do PS queiram mudar de líder, as sumidades do Conselho Jurisdicional do partido acham que o mandato de um secretário-geral não pode nunca ser interrompido contra a sua vontade expressa.

Ocorre-me um nome para ilustrar este absurdo: Michael Schumacher.

2 comentários:

  1. Pergunta rápida: “leitura segurista” será securitária, será inamovível, será irredutível?

    ResponderEliminar