sexta-feira, 4 de abril de 2014

Não foi o CDS que foi armadilhado, António Costa é que foi




 O governo, esse, só pode estar satisfeito com aquele secretário de estado boca larga que veio falar sobre cortes de pensões e ordenados nesta altura.

Havia o risco para o governo de António José Seguro não conseguir chegar aos 10 deputados europeus. 

Se a distribuição de deputados europeus ficasse 9-9, entre o PS e a direita, Seguro era varrido. Agora, depois desta conversa sobre cortes, esse risco desapareceu. Seguro está seguro. 

Em consequência, a direita tem agora hipóteses nas legislativas de 2015 e Costa dificilmente chegará a primeiro-ministro. 

O melhor para António Costa, seja qual for o resultado nas legislativas do outono de 2015, é ele anunciar naquela noite eleitoral que é candidato às presidenciais.

Sem comentários:

Enviar um comentário