sábado, 9 de novembro de 2013

A amurada

Fotografia de Camilla Akrans


E já na amurada do estádio,
entre fendas e tufos de erva pênsil,
as lagartixas correm como raios;
e a rã retorna às águas dos canais,
canto-chão das minhas noites distantes
de aldeia. Tu recordas este sítio
onde Vénus saudava nosso encontro
de sombras. Ó querida, quanto tempo
com as folhas dos álamos se foi,
quanto sangue pelos rios da terra.
Salvatore Quasimodo 
Trad. de Geraldo Holanda Cavalcanti



Sem comentários:

Enviar um comentário