quarta-feira, 3 de abril de 2013

Isto está bravo*

* Publicado no Jornal do Centro há exactamente quatro anos, em 3 de Abril de 2009 
 
Imagem daqui
Os anos de capital abundante e acessível já lá vão. 

Os bancos centrais estão a tipografar doses maciças de liquidez mas o dinheiro não chega às famílias nem às empresas.
O motor da economia mundial gripou.
     Desde Fevereiro de 2006, o think tank europeu LEAP/Europe2020, nos seus trabalhos de prospectiva, descreve a economia mundial a caminho de uma “crise sistémica global”. Os seus boletins mensais têm acertado no essencial, o que significa que os políticos – que têm acesso a todo o tipo de informação privilegiada - andaram anos a dormir na forma.
     Em 24 de Março, o LEAP escreveu uma carta aberta dirigida aos líderes mundiais presentes na cimeira dos G20, em Londres.
     Nessa carta aberta, facilmente encontrável na internet, os líderes mundiais são colocados perante a seguinte escolha: ou resolvem de uma forma concertada “uma crise de 3 a 5 anos” ou não evitamos “uma longa crise de pelo menos uma década “. É que isto está mesmo bravo!
     O LEAP dá três conselhos aos G20:
     i) Criação de uma nova divisa internacional a partir de um cabaz das principais moedas mundiais;
     ii) Controle global do sistema bancário com eliminação dos “buracos negros” (offshóricos e não só…);
     iii) Avaliação independente e rápida, o mais tardar até Julho deste ano, dos sistemas financeiros americano, britânico e suíço (os mais infectados).
     Esta é a primeira crise económica global. São precisas soluções globais. Uma política de “cada um por si” é a receita certa para o desastre.
     É de lembrar a velha ideia de Montesquieu: comércio entre os povos é igual a paz. O contrário já se sabe a que é igual.

     2. Esta crónica tuíta em twitter.com/olhodegato.
     Com o lema de sempre: “Olhos e, se necessário, unhas”.

Sem comentários:

Enviar um comentário