quinta-feira, 28 de março de 2013

Humildade

Imagem de Igor Sakharov


Minha humildade de água me trouxera
ao mais íntimo pó do pós de ti
e rira à desatada primavera
os ouros e cristais que ela sorri.

Trajada de urze, barro, líquen e hera,
ficara em desbotado e eterno aqui,
marcando, à tinta de ar, pelo ar a espera
de se entreabrirem tempestades e

silêncios para os lumes do teu passo.
Modelara-me em terra ou limo crasso
para ser teu desdém, objecto ou chão.

Vivera no final de selva e furna,
tornara o coração ilha nocturna,
século, inverno a dormir o teu clarão.
Abgar Renault


2 comentários:

  1. A ilustração e o filme de humilde nada. Andou mal na escolha mas sei bem que acha o contrário.

    ResponderEliminar