quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

A ventoinha*

* Texto publicado no Jornal do Centro há 4 anos, em 30.1.2009


1. Ano de eleições é ano de fervenças em pouca água.

Mal se acabaram de cantar as janeiras logo apareceu José Cesário, líder distrital do PSD, de kalasnhikov na mão, a exigir a demissão da directora do centro de emprego de Lamego.
        
Como é óbvio, na resposta, José Junqueiro lembrou-lhe casos complicados nas câmaras de Lamego, de Castro Daire e de Mangualde. 

Já se sabe: quando se atira lama para a frente da ventoinha, sai lama em todas as direcções.



2. Filmados nos anos de 1970, os 68 episódios da multi-premiada Família Bellamy contaram as aventuras e desventuras duma família aristocrática e dos seus empregados. O título original desta excelente série televisiva — Upstairs, Downstairs, ou o usado em Espanha — Arriba y Abajo explicavam melhor aquele mundo: os andares no cimo da escada eram para os senhores, os de baixo para os criados.
     
Depois da queda do muro de Berlim e da vitória do capitalismo, a divisão de tarefas entre o poder económico e o poder político passou-se a parecer muito com a Família Bellamy. No andar de cima, os donos do dinheiro mandavam; no andar de baixo, os políticos tratavam-lhes da intendência.
     
O resultado, depois de anos de ganância e irresponsabilidade, é a crise gravíssima que estamos a viver. Os do andar de cima começaram a pedir ajuda aos políticos. Para já, a resposta tem vindo em planos de recuperação e avales de milhares de milhões de euros.
     
A coisa não vai ficar por aqui. Em tempos de crise, uns ganham e outros perdem, uns sobem e outros descem. Vai haver um engarrafamento upstairs, downstairs na escadaria social.
     
E muitos dos de cima vão descer a escada aos trambolhões empurrados exactamente por aqueles que eram, até há não muito tempo, seus criados.

Sem comentários:

Enviar um comentário