domingo, 16 de dezembro de 2012

Melro


melro
canta a sede e a saudade do futuro
cumpre-te inteiro
do lado de fora da gaiola
A. Khimm




Por fora do coração voa a asa
negra do melro. O mesmo que
vive na minha vida. O que tem
um assobio tranquilo e eterno.
Fiama Hasse Pais Brandão





Não sei qual das vozes era mais pura,
se a do fio de água que subia
no canto do melro ou, mais frágil
e rente ao chão, a tua.
Eugénio de Andrade




Não faz nenhum sentido,
mas às vezes o absurdo entra-nos
pela porta. O melro
cantava na neve - era verão.
Eugénio de Andrade




Há um melro que faz
o ninho na minha memória. Ouço-o
agora.
Albano Martins




Foi isto que vi - restos de neve no chão,
Três melros a espanejar-se,
E a minha vizinha que sai de casa em combinação
A pôr as camisas do marido a secar.
Charles Simic

2 comentários:

  1. Leveza

    Leve é o pássaro:
    e a sua sombra voante,
    mais leve.

    E a cascata aérea
    de sua garaganta,
    mais leve.

    E o que se lembra, ouvindo-se
    deslizar seu canto,
    mais leve.

    E o desejo rápido
    desse mais antigo instante,
    mais leve.
    E a fuga invisível
    do amargo passante,
    mais leve.
    Cecília Meireles

    ResponderEliminar
  2. O MELRO, UM POEMA DE MANUEL ALEGRE

    O Melro





    Está poisado no cedro e canta apenas


    as penas e alegrias nupciais.


    Amor e adeus. Encontro e despedida.


    Por isso são de luto as suas penas


    e o que diz está antes das vogais.


    Onde o poeta falha ele não erra


    só ele sabe a sílaba proibida


    só ele canta o código da terra

    ResponderEliminar